Caco



Desde que a colocaram na caixinha de música barroca,ela tinha desempenhado seu papel perfeitamente e com primasia.
Nunca quis sair dali realmente,talvez ela não soubesse que aquilo ali era uma prisão e que em pouco tempo seus pés sangrariam e seu rosto se cristalizaria em um sorriso grande e belo,mas pateticamente eterno.
Ela não odiava a eternidade.
Queria ficar ali debulhando-se em sorrisos frígidos e sem tom,afinal de que servia a vida se não fosse para mostrar aos outros que sua vida era ótima ou que você era uma criatura especial?
As bonecas de cima do guarda roupa a olhavam com um olhar sátirico,a bailarina apenas continuava dançando seu "Pour Elise" sofisticadamente como um pombo arrolhando,perto dela,ela suspeitava,as bonecas sujas eram invejosas e jamais saberiam qual era a graça de bailar a cadência de uma melodia arrebatadora.
Um dia porém,ela foi posta no fundo de uma caixa maior,algo semelhante a uma casa de bonecas mal feita.
Seus pés já sangravam terrivelmente e ela já não aguentava sorrir mesmo que estivesse fome,sorrir mesmo que tivesse sono.
Sorrir quando mandassem e quando não mandassem.
Não esqueça! Boas maneiras te leverão a alcançar seu próprio reino absoluto.
Embora também consiga-se isso através de sua bela vestimenta e de sua ornamentação com jóias de cores diversas.
Ela continuava não importando-se.
Ela fora fabricada para isso,para brilhar numa bela caixa barroca dia e noite e ser sempre a mesma bela bailarina,não fora feita para o chão.
Precisava de sua caixa ou casulo.
Existem pessoas que não nascem para voar dentro de si.
Ela sabia disso e era feliz no seu mundo eternamente extático e constante.

2 comentários:

bliss 26 de janeiro de 2010 03:16  

e existem pessoas que nascem para voar em caixas de sapato

ana carla 28 de janeiro de 2010 15:30  

e existem pessoas que fazem outras mentes alçar vôo

Postar um comentário

ahn?

Seguidores