Curva




Eu preciso de cada gota sua,
Antes que tudo fique branco e eu não possa mais identificar se o céu mudou
Eu preciso porque se não minha vida será apenas essa canção inacabada
Como são todas as canções de todos os lugares do mundo
Eu preciso de cada verbo vindo da sua língua tácita,
eu preciso de cada instante da sua  aura incerta
eu preciso ter você quando eu quiser
eu preciso de todas as pessoas em uma.
Eu preciso da tua dualidade ritmíca,incandescente e do seu desrespeito
Não me deixe agora,quando eu posso desistir de tudo
e você sabe que eu posso desitir de tudo.
Dê-me uma dose,porque eu estou na pior.
Injete sua violenta poção nas minhas artérias,não vou resistir.
Sinto tremulamente a falta consentida da sua beleza helênica,da sua graça vulnerável.
Então você me olhará quando eu estiver ausente?
Dirá que me amava quando eu estiver perdida numa nuvem de rancor?
Está quente e eu rezo pra piorar.
Diga-me, você estará na curva?

1 comentários:

ana carla 3 de janeiro de 2010 15:32  

é por essas e outras que eu bebo

Postar um comentário

ahn?

Seguidores