Peixes II



Se me perguntarem,eu direi que meu primeiro dia a bordo,foi muito bom.
Apesar dos constantes vômitos e dos olhos afetados pelo sal e o vento marítimo.
Era bom estar no líquido,soava como não pertencer a lugar nenhum e nada dever as autoridades e a moral cega.
Ali ninguém chamava meu nome ou me pedia par dormir cedo.Era gratificante estar ali.
Em algum ponto entre o mar e o céu,longe da terra e suas questões exaustivas.
No terceiro dia,apareceram os "homens - peixes",era como eu os chamava por não haver encontrado nome melhor.Eram enormes,como se duas pessoas tivessem brincado de cabo-de-guerra com seus corpos,eram esticados.Suas orelhas eram maiores que as mãos,na verdade,as orelhas tinha o formato da mãos.
De suas peles escorria um fluido quente. Cera.
Eles pareciam velas gigantes.
Não faziam sons e seus olhos eram estáticos. Olhos de peixes.
Eles apareceram e logo se foram. Eles só queriam mostrar-me que não importava onde eu estivesse,os fantasmas irreais ainda me perseguiriam.
O sol continuava castigando os meus olhos.

1 comentários:

bliss 1 de fevereiro de 2010 04:58  

coisa que mais me atrai sobre mundos a deriva é o constante barulho que o silêncio de lá faz.

Postar um comentário

ahn?

Seguidores